17.5.06

MIL-FOLHAS

Achillea millefolium L. - MIL-FOLHASAchillea millefolium L. - MIL-FOLHAS

Nome científico: Achillea millefolium L.

Família: Asteraceae.

Sinônimos botânicos: Achillea borealis subsp. Arenicola (Pollard) D.D. Keck,
Achillea borealis subsp. Californica (Pollard) D.D. Keck, Achillea lanulosa
Nutt., Achillea lanulosa subsp. Alpicola (Rydb.) D.D. Keck, Achillea laxiflora
Pollard & Cockerell, Achillea millefolium subsp. Lanulosa (Nutt.) Piper,
Achillea millefolium var. Alpicola (Rydb.) Garrett, Achillea millefolium var.
Arenicola (A. Heller) Nobs, Achillea millefolium var. Californica (Pollard)
Jeps., Achillea millefolium var. Gigantea (Pollard) Nobs, Achillea millefolium
var. Lanulosa (Nutt.) Piper, Achillea millefolium var. Litoralis Ehrend. Ex
Nobs, Achillea millefolium var. Pacifica (Rydb.) G.N. Jones, Achillea
millefolium var. Puberula (Rydb.) Nobs, Achillea pecten-veneris Pollard

Outros nomes populares: alevante, anador, aquiléa, aquiléia,
aquiléia-mil-flores, aquiléia-mil-folhas, atroveran, botão-de-prata,
erva-carpinteira, erva-carpinteiro, erva-das-cortadelas, erva-das-damas,
erva-de-carpinteiro, erva-de-cortadura, erva-de-são-joão, erva-do-bom-deus,
erva-do-carpinteiro, erva-dos-carreteiros, erva-dos-cortadores, erva-dos-golpes,
erva-dos-militares, erva-dos-soldados, levante, macelão, marcelão, mil-em-rama,
mil-ramas, milefólia, milefólio, mil-em-rama, mil-em-ramas, milfolhada,
mil-folhada, milfólio, mil-ramas, mil-ramos, novalgina, pêlo-de-carneiro,
pestana-de-vênus, ponta-livre, prazer-das-damas, pronto-alívio,
salvação-do-mundo; mil en rama (espanhol), mille-feuilles (francês), yarrow
(inglês), millefoglio (italiano).

Constituintes químicos: achileína, achilina, ácido aquilêico, ácido caféico,
ácido clorogênico; ácido fórmico, ácidos graxos; ácido isovalérico, ácido
mirístico, ácido salicílico, açúcares; alcalóides; aminoácidos; aquineína,
azulenos, bataínas, betaína, borneol, pró-camazuleno, canfeno, cânfora,
p-cimeno, cineole, cumarinas, derivados terpênicos e sesquiterpênicos, eugenol,
fitosterol; flavonóides (apigenina, epigenol, luteolina e seus glicosídeos,
artemetina, rutina, tuteolol); formaldeído, furfural, glicosídeos amargos,
heterosídeos cianogênicos; inulina, lactonas sesquiterpênicas; limoneno,
linalol, milefina, minerais: P e K; mucilagens; óleo essencial (cineol,
proazuleno); a-pineno, ß-pineno, quercetina, quercitrina, resina, sabineno,
tanino, a-terpineno, trigonelina, a-tujona, vitamina C;

Propriedades medicinais: adstringente, amarga, analgésica, antibiótica,
anticaspa, anticelulítica, antidispéptica, antiespasmódica, anti-helmíntica,
anti-hemorrágica, anti-hemorroidária, antiinflamatória, antimicrobiana,
antiperspirante, antipirética, anti-reumática, anti-séptica, aperiente,
aromática, carminativa, cicatrizante, colagoga, colerética, diaforética,
digestiva, diurética, emenagoga, estimulante, estomáquica, eupéptica,
expectorante, hemostática, hepática, hipotensiva, refrescante, restabilizante da
circulação sangüínea, tônica, vulnerária.

Indicações: abcesso, acne, adinamia, adstrição; afecções da pele (abscessos,
feridas, eczemas, etc.); afecções urinárias, alopecia, amenorréia, cálculo
renal, calmante, cefalalgia; circulação, cólicas menstruais, contusões,
pulmonares e dérmicas; debilidade geral, depurar o sangue, desentoxicar o
organismo, diarréia, distúrbios nervosos, dores de cabeça; dores de estômago e
de dente; eczema, enurese nas crianças; escarlatina, escarros; espasmos
gastrintestinais e uterinos; falta de apetite, febre intestinal e intermitente,
feridas, fígado, fissuras anais, flatulência, gastrite, golpes, gota, greta;
hemorragias nazal, uterinas e dos pulmões; hemorróidas, incontinência urinária;
inflamação das mucosas da boca, gástricas e intestinais; inflamações e
rachaduras na pele, insônia, intestinos, má digestão, manchas, mucosidade
intestinal, pleuris, poros dilatados, problemas digestivos, problemas de
secreção da bile, psoríase, queimaduras, regularizar a menstruação, resfriado,
rins, sardas e manchas na pele, sarna, transpiração nos pés; trombose cerebral e
coronarianos; tumores, úlceras, úlcera gástrica, varizes, vesícula, vômitos
sangüíneos.

Aromaterapia: eliminar impurezas, estados de depressão e cansaço.

Parte utilizada: flores, folhas, caules, rizomas.

Contra-indicações/cuidados: mulheres em lactação e gestantes. Evitar a ação do
sol na epiderme molhada com o suco da planta fresca. Há possibilidade de
intoxicação de animais domésticos. Não deve ser tomado em doses fortes nem
durante um período prolongado.

Efeitos colaterais: pode causar irritação dérmica com coceira e inflamação,
podendo levar à formação de pequenas vesículas, inflamação ocular, dores de
cabeça e vertigens. O uso durante a gravidez, pode provocar sangramentos.

Modo de usar:
- Uso interno:
- crua, picada, em saladas ou como acompanhamento de pão e manteiga: desintoxica
o organismo, depura o sangue e ativa as funções renais; perturbações gástricas,
diarréia, gases intestinais, hemostático, dores da menstruação;
- Infusão de 10 a 15g da erva fresca (seca 2 a 4 g) em 1 litro de água, tomar 3
xícaras ao dia;
- infusão das flores: gastrite e úlcera gástrica;
- tintura em álcool 45%: 2 a 4mL, três vezes ao dia;
- extrato fluido em álcool 25%: 2 a 4mL, três vezes ao dia;
- xarope: 20 a 50mL por dia;
- maceração de 5 g em 100 ml de vinho branco por 10 dias. Tomar um cálice
pequeno 2 ou 3 vezes ao dia;
- decocção de 2g da raiz seca em um litro de água. Tomar 3 xícaras ao dia:
nervosismo e esgotamento físico e mental.
- uso Externo:
- decocção ou infusão: 10 a 15g de erva em 1 litro de água. Massagear o couro
cabeludo contra queda de cabelos e calvice;
- decocção ou infusão: 25 a 30g da planta por litro de água: feridas etc.;
- sumo: lavar a planta, retirar o sumo e aplicar sobre ferimentos e ulcerações;
- pomadas anti-reumáticas;
- supositórios: anti-hemorróidas;
- compressas ou cataplasmas: aplicar a planta fresca sobre o local afetado
(feridas e úlceras).
- ablução: macerar 100g de flores e 100g de folhas durante 1 dia em 2 litros de
água. Após, aquecer, sem ferver, e aplicar na área afetada por 15 minutos:
hemorróida;
- loções, fomentações e cataplasmas: afecções dérmicas e machucaduras;
- pó das folhas e flores secas e pulverizadas: feridas recalcitrantes;
- peles oleosas acnéicas: massagens e banhos relaxantes e descongestionantes;
- produtos infantis: cremes, xampus e loções: 1 a 5%;
- extrato glicólico: tônicos capilares, xampus e produtos para banho de espuma:
2 a 5%;
- usos específicos:
- varizes: decocção de 10g de flores em ½ litro de água. Esquentar em fogo
brando por 30 minutos. Tomar 2 xícaras pela manhã, em jejum, e outra à noite.
Aplicar compressas mornas no local afetado, 2 vezes ao dia.
- ferimentos: Aplicar infuso com gaze ou aplicar as próprias folhas e flores
frescas, limpas e esmagadas sobre as lesões Xampú para fortificar.
- hemorróidas, fazer banho de assento por 7 dias e toma-se o chá fraco;

Um comentário:

Fernanda disse...

Boa Noite, sou estudante de farmacia e tenho um trabalho de final de curso sobre a Achillea millefolium L.. Na verdade tenho que propor uma formulação e escolhi uma pomada para hemorróidas, devido as suas propriedades, gostaria que vc me mandasse alguns artigos cientificos sobre a sua postagem. obrigada.